😷 Coronavírus | Apple e telecomunicações estão ameaçadas

O coronavírus, novo vírus que teve seu epicentro na China em dezembro de 2019, preocupa a OMS e muitos países. Além das preocupações globais com a saúde, a epidemia também pode ter um impacto na produção e venda de smartphones muito dependentes da saúde econômica da gigante China.



Coronavírus, uma infecção respiratória com muitas repercussões

O coronavírus, cujos primeiros casos são originários de Wuhan, na China, preocupa a população mundial que teme uma nova onda epidêmica dessa infecção respiratória. A propagação do vírus é realmente meteórica, com milhares de casos confirmados e mortes em todo o mundo. Além da tragédia humana e da saúde, é também a economia chinesa e, portanto, global, que corre o risco de ser afetada. A China, como recorda o mundo, representa um quinto do PIB mundial. Os turistas chineses, cujo número aumentou dez vezes desde 2003, gastam U$130 bilhões por ano no exterior.

Essa epidemia corre o risco de afetar também a produção de smartphones, já que a China é um país que sedia a maioria das cadeias produtivas das grandes empresas globais. Segundo o diário japonês "Nikkei", a Apple seria uma das primeiras empresas a ser afetada por sua atividade. A empresa teria encomendado 80 milhões de iPhones no início do ano, o que corresponde a um aumento de 10% em comparação com o ano passado no mesmo período.

Portanto, é provável que o coronavírus prejudique a Apple, que, nesta ordem de 80 milhões de unidades, possui 65 milhões de iPhones existentes e parece 15 milhões do novo iPhone 9 / iPhone SE 2, que deve ser lançado no mês de março. Este iPhone também seria vendido em torno de U$ 400, o que ajudaria a aumentar as vendas da Apple para 2020.

Produção de smartphones 5G ameaçados por coronavírus

Como mencionamos anteriormente, a Apple não é o único fabricante de smartphones ameaçado, já que a maioria dos principais fabricantes depende da China para produzir seus dispositivos.

Essa epidemia não poderia ter sido pior para o setor de telecomunicações, pois, como lembra a empresa Strategy Analytics, a chegada dos novos smartphones 5G anunciou uma brisa de ar fresco para um setor cujo crescimento não está em boa forma há alguns anos.

Neil Mawston, diretor executivo da empresa, explica que, para os fabricantes de smartphones, a chegada de novos dispositivos 5G deveria reviver o setor de telecomunicações em 2020, mas que agora "os participantes do setor devem se preparar para vendas dificultadas para o setor de telecomunicações".

Como os principais parceiros da Apple, Pegatron e Foxconn estão perto de Xangai, onde alguns casos de pessoas infectadas já foram relatados, é provável que a produção seja afetada. O governo chinês já estendeu as férias do Ano Novo Lunar, enquanto o fundador da Foxconn, Terry Gou, disse que ainda não tinha certeza se seus funcionários voltariam ao trabalho após as férias.

As vendas de smartphones 5G em 2019 já representavam 18,7 milhões de unidades em 2019, incluindo 6,9 milhões para a Huawei e 6,7 milhões para a Samsung. Com a implantação exponencial do 5G no mundo, não há dúvida de que a maioria dos fabricantes de smartphones contava com essa demanda por novos dispositivos compatíveis para o ano de 2020.

Actualizado em